quinta-feira, 27 de maio de 2010

Um sonho...

Na messe , que enlourece, estremece a quermesse...
O sol, celestial girasol, esmorece...
E as cantilenas de serenos sons amenos
Fogem fluidas, fluindo a fina flor dos fenos...

As estrelas em seus halos
Brilham com brilhos sinistros...
Cornamusas e crotalos,
Cítolas, cítaras, sistros,
Soam suaves, sonolentos,
Sonolentos e suaves,
Em suaves,
Suaves, lentos lamentos
De acentos
Graves
Suaves...

Flor! enquanto na messe estremece a quermesse
E o sol, o celestial girasol, esmorece,
Deixemos estes sons tão serenos e amenos,
Fujamos, Flor! à flor destes floridos fenos...

Soam vesperais as Vésperas...
Uns com brilhos de alabastros,
Outros louros como nêsperas,
No céu pardo ardem os astros...

Como aqui se está bem!
Além freme a quermesse...
- Não sentes um gemer dolente que esmorece?
São os amantes delirantes que em amenos
Beijos se beijam, Flor! à flor dos frescos fenos...

As estrelas em seus halos
Brilham com brilhos sinistros...
Cornamusas e crotalos,
Cítolas, cítaras, sistros,
Soam suaves, sonolentos,
Sonolentos e suaves,
Em suaves,
Suaves, lentos lamentos
De acentos
Graves,
Suaves...

Esmaiece na messe o rumor da quermesse...
- Não ouves este ai que esmaiece e esmorece?
É um noivo a quem fugiu a Flor de olhos amenos,
E chora a sua morta, absorto, à flor dos fenos...

Soam vesperais as Vésperas...
Uns com brilhos de alabastros,
Outros louros como nêsperas,
No céu pardo ardem os astros...

Penumbra de veludo. Esmorece a quermesse...
Sob o meu braço lasso o meu Lírio esmorece...
Beijo-lhe os boreais belos lábios amenos,
Beijo que freme e foge à flor dos flóreos fenos...

As estrelas em seus halos
Brilham com brilhos sinistros...
Cornamusas e crotalos ,
Cítolas, cítaras, sistros ,
Soam suaves, sonolentos ,
Sonolentos e suaves ,
Em suaves ,
Suaves, lentos lamentos
De acentos Graves,
Suaves...

Teus lábios de cinábrio, entreabre-os! Da quermesse
O rumor amolece, esmaiece, esmorece...
Dê-me que eu beije os teus morenos e amenos
Peitos! Rolemos, Flor! à flor dos flóreos fenos...

Soam vesperais as Vésperas...
Uns com brilhos de alabastros,
Outros louros como nêsperas,
No céu pardo ardem os astros...

Ah! não resista mais a meus ais! Da quermesse
o atroador clangor,o rumor esmorece...
Rolemos, ó morena! em contactos amenos!
- Vibram três tiros à florida flor dos fenos...

As estrelas em seus halos
Brilham com brilhos sinistros...
Cornamusas e crotalos,
Cítolas, cítaras, sistros,
Soam suaves, sonolentos,
Sonolentos e suaves,
Em suaves,
Suaves, lentos lamentos
De acentos Graves, Suaves...

Três da manhã. Desperto incerto... E essa quermesse?
E a Flor que sonho? e o sonho? Ah! tudo isso esmorece!
No meu quarto uma luz, luz com lumes amenos,
Chora o vento lá fora, à flor dos flóreos fenos...


Eugênio de Castro

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Ahhhhh... se a vida fosse cor de rosa!...

domingo, 23 de maio de 2010

Por que o frango atravessou a estrada?...


RESPOSTAS…

PROFESSORA PRIMÁRIA:
-Porque o frango queria chegar ao outro lado da estrada.
CRIANÇA:
- Porque sim.
PLATÃO:
-Porque buscava alcançar o Bem.
ARISTÓTELES:
-É da natureza do frango cruzar a estrada.
SÓCRATES:
- Tudo que sei é que nada sei.
PARAMÊNIDES:
-O frango não atravessou a estrada porque não podia mover-se. O movimento não existe.
MOISÉS:
- Uma voz vinda do céu bradou ao frango: "Cruza a estrada!" E o frango cruzou a estrada e todos regozijaram.
DARWIN:
- Ao longo dos tempos os frangos vêm sendo selecionados de forma natural, de modo que agora possuem uma evolução genética que os levam a cruzarem as estradas.
EINSTEIN:
-Se o frango cruzou a estrada ou a estrada se moveu sobre o frango, depende do ponto de vista. Tudo é relativo.
FÍSICO NUCLEAR:
- O frango não atravessou a estrada. Deu um salto quântico.
MAQUIAVEL:
-A quem importa o porquê? Estabelecido o fim de cruzar a estrada, é irrelevante discutir os meios que utilizou para isso.
SARTRE:
-Trata-se de mera faticidade. A existência do frango está em sua liberdade de cruzar a estrada.
NIETZSCHE:
-Ele deseja superar sua condição de frango para tornar-se um superfrango.
MARX:
-O atual estágio das forças produtivas exigia uma nova classe de frangos, capazes de cruzar a estrada.
MARTIN LUTHER KING:
-Eu tive um sonho. Vi um mundo no qual todos os frangos são livres para cruzar a estrada sem que sejam questionados seus motivos.
CHE GUEVARA:
-Hay que cruzar la carretera, pero sin jamás perder la ternura...
GEORGE ORWELL:
-Para fugir da ditadura dos porcos.
FREUD:
-A preocupação com o fato do frango ter cruzado a estrada é um sintoma de insegurança sexual.
CARL JUNG:
- Está no inconsciente coletivo dos frangos, atravessar a estrada.
HEMING WAY:
- To die. Alone. In the rain.
NELSON RODRIGUES:
- Porque viu sua cunhada, uma galinha sedutora, do outro lado da estrada.
BLAISE PASCAL:
-Quem sabe? O coração do frango tem razões que a própria razão desconhece.
PAULO COELHO:
-Para exorcizar seus demônios internos e entrar em harmonia com seu espírito. Atravessar a estrada é um ritual simbólico de passagem pelas tormentas da alma em busca de seu próprio caminho de São Tiago de Compostela.
NEW AGER:
- Para se encontrar com frangos evoluídos extra-terrestres que monstraram a Luz de Ashtar Sheeran do Sétimo Raio e o Caminho da Confederação dos 24. Mas, antes através dos Mestres, ele deve atravessar um Portal no Astral, e assim se tornar um Frango Mágico para poder atravessar as estradas.
JAMES T. KIRK:
- Para ir onde nenhum frango jamais esteve...
MACONHEIRO:
-Foi uma viagem…
LOIRA:
-Para se juntar aos outros mamíferos.
FEMINISTAS:
-Para humilhar a franga, num gesto tipicamente machista, provar que, como franga, jamais terá habilidade suficiente para cruzar a estrada.
Por que ele atravessou a estrada, não vem ao caso.

CAETANO VELOSO:
-O frango é amaro, é lindo, uma coisa assim amara. Ele atravessou, atravessa e atravessará a estrada porque Narciso, filho de D.Canô, quisera comê-lo ou não!
DORIVAL CAYMMI:
-Eu acho (pausa)…Amália, vá lá ver pra onde vai esse frango pra mim, minha filha, que o moço aqui tá querendo saber…
GALVÃO BUENO:
- Bem amigos da Rede Globo... O frango é brasileiro! É o Brasil atravessando a estrada! Haja coração!!!
AMBIENTALISTA:
-Era um frango transgênico, não era?
ECOLOGISTA:
-O frango migrou de um lado para o outro como um sintoma do aquecimento global e do El Niño. Breve chegará o tempo em que muitos de nós terão que migrar se não for reduzido o consumo de combustíveis fósseis.
FUNCIONÁRIO PÚBLICO PADRÃO:
-Não sei, porque o chefe não está aqui agora, mas o senhor preenche esses cinco formulários, paga uma taxa no Banco do Brasil e depois passa daqui a dois meses para pegar a resposta.
BEETHOVEN:
-Tchan, tchan, tchan, tchaaaaan!!!

sexta-feira, 21 de maio de 2010

O que você mais procura?!...

A paz vem de dentro de você mesmo. Não a procure à sua volta...
Buda

quarta-feira, 19 de maio de 2010

E agora José?

A festa acabou,
a luz apagou,
o povo sumiu,
a noite esfriou,
e agora, José?
e agora, Você?
Você que é sem nome,
que zomba dos outros,
Você que faz versos,
que ama, protesta?
e agora, José?

Está sem mulher,
está sem discurso,
está sem carinho,
já não pode beber,
já não pode fumar,
cuspir já não pode,
a noite esfriou,
o dia não veio,
o bonde não veio,
o riso não veio,
não veio a utopia
e tudo acabou
e tudo fugiu
e tudo mofou,
e agora, José?

E agora, José?
sua doce palavra,
seu instante de febre,
sua gula e jejum,
sua biblioteca,
sua lavra de ouro,
seu terno de vidro,
sua incoerência,
seu ódio, - e agora?

Com a chave na mão
quer abrir a porta,
não existe porta;
quer morrer no mar,
mas o mar secou;
quer ir para Minas,
Minas não há mais.
José, e agora?

Se você gritasse,
se você gemesse,
se você tocasse,
a valsa vienense,
se você dormisse,
se você cansasse,
se você morresse...
Mas você não morre,
você é duro, José!

Sozinho no escuro
qual bicho-do-mato,
sem teogonia,
sem parede nua
para se encostar,
sem cavalo preto
que fuja a galope,
você marcha, José!
José, para onde?
José
Carlos Drummond de Andrade

terça-feira, 18 de maio de 2010

Hummm!...

Tempo de preparo:35min
Rendimento: 6 porções

INGREDIENTES:
1 ovo
6 colheres (sopa) bem cheias de farinha de trigo
5 colheres (sopa) de queijo ralado
1 pitada de orégano
1 colher (sobremesa) de fermento em pó.
1/2 cebola
1 xícara de chá de leite
1/2 xícara de chá de óleo

Recheio:
a gosto, pode ser carne picadinha, frango desfiado, sardinha refogada, lingüiça acebolada, queijo e presunto, etc.

MODO DE PREPARO:
Coloque todos os ingredientes no liquidificador e bata, se ficar muito mole acrescente mais farinha de trigo, para adquirir consistência.
Acenda o forno para pré-aquecer em temperatura média.
Unte uma forma com óleo, derrame um pouco da massa para cobrir o fundo, depois acrescente todo recheio e cubra com o restante da massa e leve ao forno até dourar por cerca de 30 minutos.

sexta-feira, 14 de maio de 2010

Fauna brasileira ameaçada...

Carcará

quarta-feira, 12 de maio de 2010

Liberdade para todos os povos!...

No dia 13 de maio de 1888, a princesa Isabel assinou a Lei Áurea, extinguindo a escravidão no Brasil! Os escravos por fim conseguiram suas alforrias (libertação).
A abolição da escravatura não aconteceu do dia para noite, vários movimentos antecederam a data. 3 anos antes em 1885, foi aprovada a Lei dos Sexagenários. Pela lei os escravos ao completarem 60 anos eram libertos. Esta era uma forma de ir gradualmente extinguindo com a escravatura.
Você também deve ter ouvido falar da Lei do Ventre Livre. Os filhos nascidos depois do dia 28 de setembro de 1871, após completarem 8 anos poderiam ser libertados caso o proprietário concordasse. O proprietário recebia uma indenização do governo, que criou este mecanismo como um instrumento de incentivo a libertação dos escravos!

créditos: www.smartkids.com.br

Negro preto cor da noite
Nunca esqueças o açoite
que crucificou tua raça
Em nome dela
Faça com que nossa gente
Um dia gente se faça

E para voçê irmão branco
Somos formados do mesmo pó
Do mesmo criador
Por um mesmo sentimento
Chamado amor
Um dia retornaremos ao mesmo pó
De onde o Deus todo poderoso nos tirou…

(Geraldo Magela de Jesus)

terça-feira, 11 de maio de 2010

Liberdade?!...


A escravidão, também conhecida como escravismo ou escravatura, foi a forma de relação social de produção adotada, de uma forma geral, no Brasil desde o período colonial até o final do Império. A escravidão no Brasil é marcada principalmente pelo uso de escravos vindos do continente africano, mas é necessário ressaltar que muitos indígenas foram vítimas desse processo.
Os escravos foram utilizados principalmente em atividades relacionadas à
agricultura – com destaque para a atividade açucareira – e na mineração, sendo assim essenciais para a manutenção da economia. Alguns deles desempenhavam também vários tipos de serviços domésticos e/ou urbanos.
A escravidão só foi oficialmente abolida no Brasil com a assinatura da
Lei Áurea, em 13 de maio de 1888. No entanto, o trabalho compulsório e o tráfico de pessoas permanecem existindo no Brasil atual, a chamada escravidão moderna, que difere substancialmente da anterior.
Fonte: Wikipédia

segunda-feira, 10 de maio de 2010

Para pensar...

"Quando sentir seu coração apertar,
saiba que sou a melhor criatura para te escutar."

Cuide bem do seu mascote!!!

sábado, 8 de maio de 2010

Ser mãe...

"Quando todos te condenar
quando ninguém te escutar
ela escuta e perdoa,
pois ser Mãe é perdoar!

Quando todos te abandonar
e ninguém te queira ver
ela te segue e procura
pois ser Mãe é compreender!

Quando todos te negarem um beijo,
um olhar,
ela te ampara e acarinha
pois ser Mãe é sempre se dar!"

quinta-feira, 6 de maio de 2010

Três letras apenas...

Mãe...São três letras apenas
As desse nome bendito:
Também o céu tem três letras
E nelas cabe o infinito
Para louvar a nossa mãe,
Todo bem que se disser
Nunca há de ser tão grande
Como o bem que ela nos quer

Palavra tão pequenina,
Bem sabem os lábios meus
Que és do tamanho do CÉU
E apenas menor que Deus.
(Mário Quintana)

terça-feira, 4 de maio de 2010

Amor maior ninguém pode sentir...

"Teus braços sempre se abrem
quando preciso de um abraço.
Teu coração sabe compreender
quando preciso de uma amiga.
Teus olhos sensíveis se endurecem
quando preciso de uma lição.
Tua força e teu amor me dirigiram pela vida
e me deram as asas que precisava para voar."

domingo, 2 de maio de 2010

Para sempre...


Por que Deus permite
que as mães vão-se embora?
Mãe não tem limite,
é tempo sem hora,
luz que não apaga
quando sopra o vento
e chuva desaba,
veludo escondido
na pele enrugada,
água pura, ar puro,
puro pensamento.

Morrer acontece
com o que é breve e passa
sem deixar vestígio.
Mãe, na sua graça,
é eternidade.
Por que Deus se lembra
- mistério profundo -
de tirá-la um dia?
Fosse eu Rei do Mundo,
baixava uma lei:
Mãe não morre nunca,
mãe ficará sempre
junto de seu filho
e ele, velho embora,
será pequenino
feito grão de milho.
Carlos Drummond de Andrade